Claro Brasil Ride - Boletim #3



- Socorro! Por favor, alguém me empreste um remo, minha barraca está boiando.
- E eu? Um dia falei pro meu pai que ia para o Jalapão de bike e ele respondeu:
- E isso dá dinheiro, dá?

Com esse diálogo, debaixo de um temporal por volta de 03 horas da madrugada, começou o dia na Vila Claro, acampamento com quase 400 barracas, em Mucugê – BA.

Impressionante e impossível explicar a onda de risadas que invadiu as barracas molhadas. Nem a chuva, nem o frio, nem os 140 km que nos aguardavam. Nem vestir uma roupa apertada e sair na chuva para o café da manhã que começou a ser servido pontualmente 04h da madrugada.

Atletas, staff, comboio médico. Todos absolutamente prontos para a largada, pontualmente 06 horas da manhã, sob chuva e com tempo muito nublado.

Começamos como quem começa uma Volta ao Lago em Brasília. Pelotão, alta velocidade tanto nas subidas quanto nas descida, e a sensação que acabaria em breve.

Grande engano. Eu estou realmente em êxtase. Nunca vi tanto single track (aquela trilha apertada que cabe apenas uma bicicleta). Cenários deslumbrantes mesmo, incríveis até.

Gastei simplesmente 11 horas ininterruptas para concluir o segundo estágio do Claro Brasil Ride, com média de batimentos em 144 apenas, máxima de 177 (bem diferente do prólogo, claro). Subimos mais de 3000 mts e eu gastei 9300 calorias com esse “pedalzinho” de hoje. Que arrependimento não ter conseguido dar uma engordada antes da prova. Sinceramente não sei o que vai acontecer se o nível continuar nessa toada.

Piatã. Nunca recuse um pedal nessa região. Com chuva, lama, empurrando boa parte da montanha, ainda assim, a trilha mais bonita que já conheci.



Pedalei hoje boa parte do dia com um repórter americano de nome Jason Sumner da Velonews – um dos principais sites de notícias dos EUA. Segundo ele, a principal prova da America do Norte é para pessoais normais. “Isto aqui não. Isto sim é Mountain Bike.” Tem tudo para ser considerada a mais difícil do mundo, e também a mais linda.

Ainda não consegui os resultados para dar notícias dos atletas de Brasília, mas já confirmei: Abraão Azevedo está no lugar mais alto do podium Máster, e Julyana Machado, no podium das duplas femininas.

Denílson Postai e Fernando Toigo, João Carlos e Denis, Dani Lemke e Adauto Belli estão desclassificados. Enfrentaram problemas variados e abandonaram o segundo estágio do Claro Brasil Ride – considerado o mais difícil de todos. O restante continua no páreo.

Agora a pouco no jantar, depois de um dia inteiro de chuva e devido a enorme quantidade de “gringos”, alguns entre nós já arriscam o inglês, e o diálogo improvável abaixo encerrou as gargalhadas do dia – uma verdadeira lição de inglês, bem ao jeito brasileiro bem-humorado:

- Heman, lost wheel, lost wheel (Mermão, perdi a roda!).
- Eazy, only little shoes, only little shows (pega leve, só no sapatinho).
- Tea with me (xá comigo).

Já viram que o bom humor manda por aqui, não?
Boa semana a todos.

Abraço.

Comentários

Postagens mais visitadas