A vida moderna e o corpo humano

Veiculado na Correio Braziliense em 16/11/2011 - imagem ilustrativa WEB



Resultado de milhões de anos de evolução, assim é o corpo humano. Sem pedir, você ganhou a máquina mais poderosa de todas ao nascer. A mais perfeita. E o que você faz com ela?

Diante de um predador, o homem das cavernas tinha duas opções: correr ou combater. Então a sábia evolução nos fez assim: o coração acelera, jatos de adrenalina invadem o corpo deixando-o inteiramente pronto para a ação. A temperatura aumenta, a pressão sobe, a digestão diminui, os músculos se retesam, o olhar fica mais aguçado, o cérebro trabalha em uma velocidade incomum. Prontos para a ação.

Milhões de anos se passaram e...

São outros os predadores. O chefe, as cobranças, o horário, os compromissos, o trânsito e os motoristas “exemplares”. Tudo acontece exatamente igual com seu corpo, e o que você faz? Grita e gesticula - quando pode - engole, respira profundamente, e mais nada. Toda a toxina que invadiu seu corpo, reflexo da tensão momentânea, não sairá de lá facilmente. E para complicar ainda mais, nos jogamos com toda a gula possível num prato de comida, para aplacar a tensão e a frustração.

Pois bem. O intuito hoje é provocá-lo, caro leitor.

Pense nos últimos 50 anos. Costumo dizer que desperdiçamos nas últimas décadas o que a natureza levou milhões de anos para construir. Criamos o elevador, a escada rolante, distribuímos automóveis pelos quatro cantos do mundo, desenvolvemos a excelência na produção de comida industrializada, fast food e a praga do disque-qualquer-coisa, além do fantástico controle remoto.

O resultado? Doenças modernas: estresse, fobia, depressão, entre vários outros. Frutos de uma vida diferente daquela que seu corpo foi programado.

Médico, remédio? Arrume tempo. Evite o problema. Não deixe para amanhã o suor de hoje. Movimente-se. Acorde de madrugada, durma menos, troque o shopping pelo parque, o carro pela bike, pense no que vai comer antes de pegar a fila do self service.

Passar pela vida, sucumbir à pressão, ser escravo do tempo são fatos incômodos. E não vai melhorar amanhã. Começar ou recomeçar não é fácil, entendo. Mas você precisa de 04 semanas para começar a modificar seu metabolismo. Depois deste período, você dificilmente abandonará os novos hábitos.

Sempre que me perguntam sobre como começar, recomendo duas ações fundamentais: Trace um objetivo e compre a passagem. No Pedal Noturno ou nas listas de Caminhada na internet – procure sua turma. Se academia te sufoca, procure o site de uma operadora de Turismo de Aventura e divirta-se.

Sua máquina agradece.

Comentários

Postagens mais visitadas