Paralelo 15 - de Sucre a Potosi


Há três anos comecei a pesquisar sobre o período Colonial, com foco nas minas de Diamantina e Ouro Preto, em função da Estrada Real. Quase que por acidente, esbarrei com a história de Potosi, na Bolívia, e uma frase me chamou a atenção:

- "A prata que foi extraída de Potosi daria para construir uma ponte da Bolívia à Espanha. E outra ponte poderia ser construídas com as mortes causadas pela ganância no metal."

Agora estou aqui, em Potosi, e amanhã pela manhã farei uma visita à mina, ainda em atividade. Fiquei em êxtase com a estrada de Sucre a Potosi, como mostra o vídeo acima e as fotos abaixo. A cidade está a 4.000 mt de altitude, e os efeitos são imediatos: dor de cabeça, um enjoo permanente e uma incrível dificuldade de fazer esforço físico. Mas nada diminui o prazer do encontro histórico: o convento fundado em 1547, as igrejas, as esculturas. Se pensa em Bolívia, não esqueça Potosi.


Passarela suspensa sobre um rio de pedras, em zona geológica instável. O último terremoto foi de 8 pontos.


Mas que é bonito, isso é.


Menino pastor.


O cenário fica mais bonito a cada km.


Eu falei!


Convento fundado em 1547, em Potosi, a 4.000 mt de altitude.



Frio? 4°, 5 horas da tarde.



A foto bem poderia ser tirada há anos. Mas foi hoje, com a montanha de prata ao fundo, vista da esquina do hotel.

Comentários

Grande Weimar
Essa sequência de curvas parece um circuito de slalom - uma verdadeira dança. Que felicidade, hein? I am following you!

Postagens mais visitadas