Brasil Ride - Etapa 4 - Rio de Contas




O percurso da quarta etapa foi totalmente novo em relação à última edição do Brasil Ride. Dessa vez, partimos para 82km e o tempo máximo de 10h para corte. Depois de um trecho de falso plano em um estradão com um pouco de areia, entramos em uma plantação de café nas “barbas” do Pico do Barbado, o ponto culminante do nordeste brasileiro, e revivemos uma trilha histórica, redescoberta a golpes de facão.
O single treck (trilha) era utilizado antigamente por mineiros que vinham para a parte alta da Chapada em busca dos minérios. Situada nas margens de um rio, em uma floresta impensável para esta região, seguimos um curso de aproximadamente 14km de trechos técnicos, primeiramente numa mata de galeria que poderia jurar ser mata atlântica: floresta densa, degraus de pedra e trechos sinuosos perfeitos para o mountain bike, com todos os ingredientes para ser listada como uma das mais lindas trilhas que já experimentei.


Depois outro trecho de estradão e pronto: o temido trecho final. Cerca de 20 km de subida forte, “ingridi, mainha”! Meio dia, sol a pino, termômetro marcando 45 graus, e as subidas com até 28% de inclinação (a subida da ponte JK, em Brasília, tem 12%). Não sei como foi possível concluir. Acho que finalmente fiz as pazes com as pernas.
O dia também reservou grandes alegrias para os candangos aqui. Abraão Azevedo é o primeiro na geral da Master, e o amigo Heleno Borges com seu parceiro Giovane Rufino fez segundo, também na Master. Apesar de sofrer uma grande indisposição hoje, Catalão com Montoya ficaram em terceiro na categoria Brasil.

Comentários

Oswaldo disse…
Wei, estou compartilhando de tua emocao! Divirtam-se tu e Fabricio!!!

Postagens mais visitadas