Brasília e o Esporte de Aventura

Publicado no Correio Braziliense em 11 de dezembro de 2011.



O processo é lento, mas contínuo. A cada dia mais pessoas constatam duas coisas muito importantes para a sustentabilidade da vida: o condicionamento físico e o contato com a natureza.

As corridas de rua no DF são a prova mais contundente da primeira assertiva, e o turismo, indústria que mais cresceu nas últimas décadas, tem no ecoturismo e no turismo de aventura as meninas dos olhos: um horizonte de crescimento que ninguém pode, no momento, projetar limites.

E a nossa cidade, que respira esporte por vocação comprovada, acompanha a escalada dos esportes de aventura. Já é certo que a Chapada dos Veadeiros receberá, em maio de 2012, a maior corrida de aventura do Brasil, a nona edição do Ecomotion Pró.  

Finalmente chegou a hora do Cerrado, e por meio do evento, experimentaremos grande incremento no segmento de esportes de natureza e aventura, solidificando um processo mantido por iniciativas locais como o Brasília Multisport.

Foto: Acervo BMS 2009 - Canoagem no Rio Paranoá, 
há 10km da Esplanada dos Ministérios.


Por onde passou o Ecomotion promoveu uma revolução no trade ligado a esses segmentos. O evento motiva o aparecimento de novos praticantes de corrida de aventura, esporte que mistura corrida off-road, mountain bike, canoagem, técnicas verticais, navegação com mapa e bússola em um formato onde compete-se por equipes de quatro pessoas com pelo menos uma dessas pessoas do sexo oposto.

Trabalho em equipe, superação de desafios, logística, estratégia, tomada de decisões sob pressão e inconstância dos elementos da natureza são algumas das características desse esporte. As equipes passam por paisagens naturais belíssimas em um formato expedicionário, e reafirma o espírito desbravador do ser humano.

Além disso, o legado do evento fica para a região sob diversas formas. Entre elas, o evento promove o destino turístico com uma exposição de mídia muito eficiente e capacita as populações locais a operarem turismo de aventura transferindo conhecimento durante sua realização. 

Brasília tem chances de se tornar a sede do evento, sendo responsável por receber e alojar as equipes e a imprensa antes da competição, além de realizar o prólogo da prova. Assim, a capital poderia capitalizar o benefício direto (popularização do esporte de aventura na cidade e incremento do fluxo de turistas) e indireto (fixação de sua imagem como destino de ecoturismo e impulso aos microempresários que pretendem operar turismo de aventura na cidade).

Atletas, comecem os treinos hoje. Governo, estamos na torcida para que nossa cidade participe efetivamente do Ecomotion. Empresários e empreendedores: pensem nas alternativa de entretenimento para os turistas que visitarão a capital nos próximos anos. Hora de acreditar e investir.

Comentários

Postagens mais visitadas