Paixão pelas Magrelas



    Não se trata de infidelidade. Mas da sedução que desperta a paixão.
    Entre tantas no TransAndes Challenge, há quem faça meu coração bater mais forte. Logo pela manhã.
    Me dirijo ao Café e me pego virando o pescoço para procurá-la. Sei onde achá-la, mas quero me certificar. Nossos olhares se cruzam e um arrepio corre as costas, movimento os ombros, involuntariamente, puro frenesi.
    De longe observo suas formas encantadoras. Na correta proporção feminina que mais me encanta: ombros largos, músculo, osso e altura: meu número. E como ficam belas usando botas. Irresistíveis. O salto 29 confere estilo e personalidade, mas parece dizer: 
    - Estou pronta para o que você quiser. 
    Sigo em sua direção, decidido:
    - Buenos dias, señorita!
    - Para ti, chica.
    Confesso. A ternura acaba no momento que encosto nela. Desperta minhas intenções mais perversas.
    Agarro seu pescoço sem cerimônia e a arrasto para o gramado. Nem olho para trás, mas tenho certeza que está susurrando: 
    - Me gusta. Que más puedes hacer
    - Quanta provocação! Abusada.


    Se empieza la carrera en la Patagonia, e me desmonto frente à simplicidade da relação: Torço sua orelha para baixo, ela empina. Não há vulcão que resista a sua determinação. Se aperto para cima, perde o juízo! Não há quem a segure. Eu que me esforce para continuar mostrando quem é que manda.
    E depois de cada ato, mais selvagem, um afago em sua nuca: 
    - Muy Bueno, chica! Quero mais. Outra. Vamos.

    Quando cruzo a linha de chegada, como recompensa por me colocar mais uma vez no lugar mais alto do podium, um banho gelado. Acompanho a tentação até o Bike Park, e me despeço com uma certeza: amanhã tem mais, a última do TransAndes 2014! 

Comentários

Postagens mais visitadas